Ser adulto talvez seja descobrir não sermos especiais e continuar firmes mesmo assim

Quando crianças é comum que os adultos à nossa volta procurem nos proteger das adversidades da vida. Sejam dos obstáculos físicos, causadores de feridas facilmente observáveis, sejam – algumas vezes – das decepções que nos causariam dores emocionais profundas. Banhados pela proteção do lar, crescemos em meio a produções culturais que também nos vendem a … Continuar lendo Ser adulto talvez seja descobrir não sermos especiais e continuar firmes mesmo assim

2015 – Semana 15: “Tu sabe o nome que se dá a quem gosta de pessoas iguais, John?” “Amor?”

Olá amigos, Essa semana começo com uma notícia emocionante e uma lição de vida aprendida com um garoto de oito anos. Mesmo o texto tendo ficado um pouco grande, fiz questão de reproduzir o diálogo dos dois e creio que vale a pena ser lido. No final da semana passada foi a comemoração da sexta-feira … Continuar lendo 2015 – Semana 15: “Tu sabe o nome que se dá a quem gosta de pessoas iguais, John?” “Amor?”

2015 – Semana 12: Do papel social da teledramaturgia a um convite a reflexão

Olá amigos, Essa semana me propus a colocar bastante notícias legais e que desse uma certa leveza aos nossos encontros semanais, mas infelizmente não foi possível. Infelizmente a realidade é mais dura e menos divertida do que queremos. O que mais causou burburinho nas redes sociais essa semana foi o beijo entre Fernanda Montenegro e … Continuar lendo 2015 – Semana 12: Do papel social da teledramaturgia a um convite a reflexão

A mão e a contramão de 2014 – Uma retrospectiva gay

Olá amigos, O ano de 2014 se encerra e como já virou clichê é momento de fazermos uma análise do que deu certo e errado, o que vale a pena continuar apostando ou ser descartado junto com o ano, que dentro de poucas horas, será passado. Minha análise sobre este ano é que ele foi … Continuar lendo A mão e a contramão de 2014 – Uma retrospectiva gay

Continuar firme e forte também quando o amor nos machuca

Já há algum tempo eu adotei terminar todas as minhas postagens aqui no blog com a frase: “continuemos firmes e fortes”. A escolha não foi feita ao acaso e traz consigo muita informação sobre como eu espero passar pela vida. Assim, escolhi escrevê-la na primeira pessoa do plural porque também me incluo nesse desejo, nessa … Continuar lendo Continuar firme e forte também quando o amor nos machuca

Dois grandes desafios que enfrentei durante minha saída do armário e o próximo que quero enfrentar

Ainda essa semana estava falando com um amigo sobre alguns paradoxos de ser um homem homossexual nessa sociedade contemporânea e até citei alguns exemplos da minha própria vida. Durante o processo de me assumir, por exemplo, eu tive que me aceitar duas vezes em dois pontos muito distintos. Na primeira vez eu aceitei minha sexualidade … Continuar lendo Dois grandes desafios que enfrentei durante minha saída do armário e o próximo que quero enfrentar

Frozen – Uma leitura contra a homofobia

*Esta postagem contém spoiler do filme Frozen da Disney. Muitas vezes somos influenciados a criticar coisas que consideramos clichês. Talvez pelo seu uso excessivo, tendemos a não creditar valor a certas obras que falam daquilo que estamos “cansados de ouvir”, porém nem sempre o óbvio é o mais visível aos nossos olhos. Eu me lembro … Continuar lendo Frozen – Uma leitura contra a homofobia

O que faremos quando o tempo impactar em nossos corpos esbeltos?

Vivemos a era da estética, deixamos de ser homo sapiens para nos tornar homo videns, ou seja, somos agora a espécie que vive para ver, tudo é espetáculo, tudo é para ser consumido visualmente. Por isso não é surpresa o proliferar das selfies, autoimagens feitas com celulares e suas poderosas câmeras cheias de pixels, somadas … Continuar lendo O que faremos quando o tempo impactar em nossos corpos esbeltos?

Porque aceitar os convites que a vida te faz

A vida autoconsciente de que somos dotados parece que nos impõe alegrias e tristezas muitas vezes em tamanho desigual. Os desafios parecem se multiplicar enquanto os momentos de alegria, quando não se subtraem, no máximo se somam em doses homeopáticas e vagarosamente – quase sem vontade. Talvez por isso a psicologia tenha se apropriado do … Continuar lendo Porque aceitar os convites que a vida te faz

A descrença que nos faz mais fortes

Viver o cotidiano desse país já não é muito fácil, e quando se faz parte de uma minoria, isso pode ser ainda mais difícil. Apesar de irônico, mesmo diante de toda a pluralidade do nosso povo, ainda sofremos os males que a normatização tenta impor em nossa cultura. Seja pelo poder aquisitivo, seja pela cor … Continuar lendo A descrença que nos faz mais fortes